13 livros para ler em 2020

by - janeiro 06, 2020



Esse ano eu quero voltar a ser assídua na leitura e como estamos iniciando 2020 resolvi começar uma lista de livros, são leituras que tenho vontade de iniciar há muito tempo, então possa ser que alguns de vocês já tenham lido.

Tenho planos de resenhar alguns deles pra vocês e se conseguir vou adicionar mais leituras ao longo das minhas visitas às livrarias! 

A escolha dessas leituras para 2020 também diz respeito à pautas importantes na nossa sociedade. Tentei trazer os mais diversos livros com temáticas interessantes e informativas para que vocês possam conhecer e se deliciarem com novas perspectivas literárias esse ano.

São 13 livros que falam sobre depressão, sexualidade, arte no mundo moderno, que trazem a tona a visibilidade à vidas simples, livros melancólicos, sobre criatividade e como desenvolve-la, livros sobre a vida, sobre consumo, romances leves e outros carregados de críticas sociais.

São livros para refletir que ao meu ver (que ainda não os li) parecem trazer para a nossa vida o real e verdadeiro mesmo de forma ficcional.

Acredito que 2020 vai ser um ano para refletirmos e agirmos em mudanças reais para nossa vida, o mundo está passando por situações complicadas e acho que preciso de leituras que conversem mais com a realidade. Espero que eu encontre todas por um bom preço! Hahaha

Os livros estão acompanhados da sinopse! Então o post está meio grande, porém espero que se identifiquem com algum!
😊💛




Numa iluminada noite de primavera, à beira do rio Fontanka, um jovem sonhador se depara com uma linda mulher, que chora. São Petersburgo está mergulhada em mais uma de suas noites brancas, fenômeno que as faz parecerem tão claras quanto os dias e que confere à cidade a atmosfera onírica ideal para o encontro entre essas duas almas perdidas. Em apenas quatro noites, o tímido rapaz e a misteriosa Nástienhka passam a se conhecer como velhos amigos, mas algo vem atrapalhar o desenrolar romântico deste fugaz encontro.
Feito raro para um romance de estreia, este livro é festejado internacionalmente antes de chegar às livrarias brasileiras, com os direitos já vendidos para mais de dez editoras estrangeiras. Rio de Janeiro, anos 1940. Guida Gusmão desaparece da casa dos pais sem deixar notícias, enquanto sua irmã Eurídice se torna uma dona de casa exemplar. Mas nenhuma das duas parece feliz em suas escolhas. A trajetória das irmãs Gusmão em muito se assemelha com a de inúmeras mulheres nascidas no Rio de Janeiro no começo do século XX e criadas apenas para serem boas esposas. São as nossas mães, avós e bisavós, invisíveis em maior ou menor grau, que não puderam protagonizar a própria vida, mas que agora são as personagens principais do primeiro romance de Martha Batalha. Enquanto acompanhamos as desventuras de Guida e Eurídice, somos apresentados a uma gama de figuras fascinantes: Zélia, a vizinha fofoqueira, e seu pai Álvaro, às voltas com o mau-olhado de um poderoso feiticeiro; Filomena, ex-prostituta que cuida de crianças; Luiz, um dos primeiros milionários da República; e o solteirão Antônio, dono da papelaria da esquina e apaixonado por Eurídice. Essas múltiplas narrativas envolvem o leitor desde a primeira página, com ritmo e estrutura sólidos. Capaz de falar de temas como violência, marginalização e injustiça com humor, perspicácia e ironia, Martha Batalha é acima de tudo uma excelente contadora de histórias. Uma promessa da nova literatura brasileira que tem como principal compromisso o prazer da leitura.

Verdadeiro manifesto ilustrado de como ser criativo na era digital, Roube como um artista, do designer e escritor Austin Kleon, ganhou a lista dos mais vendidos do The New York Times e figurou no ranking de 2012 da rede Amazon ao mostrar – com bom humor, ousadia e simplicidade – que não é preciso ser um gênio para ser criativo, basta ser autêntico. Baseado numa palestra feita pelo autor na Universidade do Estado de Nova York que em pouco tempo se viralizou na internet, Roube como um artista coloca os leitores em contato direto com seu lado criativo e artístico e é um verdadeiro manual para o sucesso no século XXI.Nesta obra, Austin mostra através de mensagens positivas um olhar gráfico diferenciado, ilustrações, exercícios e exemplos de como o leitor pode “ativar” seu lado criativo. Austin Kleon, corajosamente, desfila novas verdades sobre criatividade: nada é original, então abrace as influências, colete ideias, misture e reimagine para achar seu próprio caminho. Se gosta de um artista, copie-o, e copie as referências deste artista, descubra de quem ele gosta, quem ele copia, quem é a sua influência, e tome tudo isto para si. Seja este artista, até a hora que vai sentir que não está mais copiando e sim criando sua própria versão. 
No seu mais famoso ensaio, Walter Benjamin analisa como as mudanças operadas pela modernidade com o advento da fotografia e do cinema (e as transformações trazidas pelas respectivas técnicas) mexem com o status da obra de arte, retirando-lhe a "aura", característica que a torna única, experiência da contemplação "aqui e agora". Com Benjamin, a arte passa a ser pensada de modo diverso: a reprodução deixa de ser tratada como uma mera cópia e passa a ser pensada como a própria obra.




Esta nova edição apresenta o primeiro livro de Seth em seu formato definitivo, reunindo a extensa e belamente ilustrada trama de sua popular série em quadrinhos Palookaville. Aqui, ele conta vividamente sua busca por um significdo na dia e na obra de Kalo, esquecido cartunista de humor das décadas de 1940 e 1950. Essa compulsiva missão o leva através de pilhas de livros e revistas surradas, na esperança de encontrar (e, em última análise, se apegar a) uma parte do passado. Com este notável romance. Seth demonstrou o poder dos quadrinhos como forma narrativa. A história se desdobra lentamente, abrindo janelas para cenas melancólicas de velhas fábricas, cidades remotas e distantes rotas de trem; nos levando em uma viagem que atravessa as distâncias e retorna no tempo.


Um romance hilário e poderoso sobre o experimento de hibernação de uma jovem, sua amiga desastrada e uma das piores psiquiatras da história da literatura. Estamos no ano 2000, em Nova York, uma cidade cheia de possibilidades. E a narradora de Meu ano de descanso e relaxamento não tem motivo para queixas. Ela é jovem, bonita, trabalha numa galeria descolada, mora num belo apartamento e recebeu uma herança polpuda. Mas traz um enorme vazio no peito. E não apenas porque perdeu os pais ou por causa da relação destrutiva que desenvolveu com sua melhor amiga. O que pode estar tão errado? Durante um ano, ela passa a maior parte do tempo dormindo, embalada por uma combinação de remédios prescritos por uma psiquiatra inescrupulosa. O pior é que ela parece ter razão em seu desprezo pelo mundo. Tudo fica um pouco ridículo sob sua ótica. Moshfegh nos convence de que a alienação, em tempos confusos como os nossos, pode ser razoável e até mesmo necessária. Delicado e carregado de humor ácido, impiedoso e compreensivo, este romance revela por inteiro uma escritora inventiva e extremamente talentosa.



Fun Home é um marco dos quadrinhos e das narrativas autobiográficas, além de uma obra-prima sobre sexualidade, relações familiares e literatura. Um labirinto da memória trazido à tona com graça, humor e a força das maiores realizações artísticas. Pouco depois de revelar à família que é lésbica, Alison Bechdel recebe a notícia de que seu pai morreu em circunstâncias que poderiam indicar um suicídio. Nesta aclamada autobiografa em quadrinhos, ela explora a difícil, dolorosa e comovente relação com o pai. A autora retraça também os próprios passos, da criança que cresceu entre os cadáveres da funerária da família à jovem que se encontrou nos livros e na arte. Num trabalho imensamente poderoso e sutil, Bechdel trilha o caminho de sua vida em busca de um pai tão enigmático quanto incontornável.




Em O mito da beleza, a jornalista Naomi Wolf afirma que o culto à beleza e à juventude da mulher é estimulado pelo patriarcado e atua como mecanismo de controle social para evitar que sejam cumpridos os ideais feministas de emancipação intelectual, sexual e econômica conquistados a partir dos anos 1970. As leitoras e os leitores encontrarão exposta a tirania do mito da beleza ao longo dos tempos, sua função opressora e as manifestações atuais no lar e no trabalho, na literatura e na mídia, nas relações entre homens e mulheres e entre mulheres e mulheres. Nomi Wolf confronta a indústria da beleza, tocando em assuntos difíceis, como distúrbios alimentares e mentais, desenvolvimento da indústria da cirurgia plástica e da pornografia. Esta edição, revista e ampliada, pela primeira vez publicada pelo selo Rosa dos Tempos, traz uma apresentação da autora contextualizando o livro para os leitores de hoje, já que esteve mais de duas décadas longe das livrarias brasileiras.


Neste romance breve, delicado e de leitura irresistível, o jovem Victor Heringer se coloca como um dos narradores mais raros e interessantes da nossa literatura. No calor de um subúrbio carioca, um garoto cresce em meio a partidas de futebol, conversas sobre terreiros e o passado de seu pai, um médico na década de 1970. Na adolescência, ele recebe em casa um menino apadrinhado de seu pai, que morre tempos depois num episódio de agressão. O garoto cresce e esse passado o assombra diariamente, ditando os rumos de sua vida. Essa história, aparentemente banal, é desenvolvida com maestria ficcional e grandeza quase machadiana por Victor Heringer. Dono de uma prosa fluente e maleável, além de uma visão derrisória da vida, o autor demonstra pleno domínio na construção de cenas e personagens. E emociona o leitor com sua delicada percepção da realidade.


Marin deixou tudo para trás. A casa de seu avô, o sol da Califórnia, o corpo de Mabel e o último verão agora são fantasmas que ela não quer revisitar. O retrato de uma história em que já não se reconhece mais. Ninguém nunca soube o motivo de sua partida. Nada se sabe sobre a verdade devastadora que destruiu sua vida. Agora, ela vive em um alojamento vazio e está sozinha no inverno de Nova York. Marin está à espera da visita de sua melhor amiga e do inevitável confronto com o passado. As palavras que nunca foram ditas finalmente se farão presentes para tirá-la das profundezas de sua solidão. Estamos bem é um sussurro íntimo embalado por um soco indelével. Nina LaCour retrata a elaboração do sofrimento de forma bela e dolorosamente sincera, provocando um desejo pungente de atravessar qualquer distância para se reconectar com quem ama.


Na coletânea de ensaios críticos reunidos em Olhares negros, bell hooks interroga narrativas e discute a respeito de formas alternativas de observar a negritude, a subjetividade das pessoas negras e a branquitude. Ela foca no espectador — em especial, no modo como a experiência da negritude e das pessoas negras surge na literatura, na música, na televisão e, sobretudo, no cinema —, e seu objetivo é criar uma intervenção radical na forma como nós falamos de raça e representação. Em suas palavras, "os ensaios de Olhares negros se destinam a desafiar e inquietar, a subverter e serem disruptivos". Como podem atestar os estudantes, pesquisadores, ativistas, intelectuais e todos os outros leitores que se relacionaram com o livro desde sua primeira publicação, em 1992, é exatamente isso o que estes textos conseguem.


Há três anos a família de Tanner Scott se mudou da Califórnia para Utah, fazendo com que sua bissexualidade voltasse para o armário. Agora, com apenas mais um semestre até o fim das aulas no colegial e seu tão sonhado futuro em uma universidade longe da família, ele só deseja que o tempo passe mais depressa. Quando Autumn, sua melhor amiga, se inscreve na aula de escrita e o desafia a participar, Tanner não consegue recusar o convite, afinal de contas, quatro meses é tempo mais do que suficiente para escrever um livro, certo? O garoto está mais certo do que imagina, pois leva apenas um segundo para que ele note Sebastian Brother, o prodígio mórmon que, nas aulas de escrita do ano anterior, escreveu e publicou o próprio livro, e agora orienta a turma. Se quatro meses é muito tempo, um mês pode não ser. E é exatamente esse tempo que leva para Tanner se apaixonar por Sebastian. Mais uma vez assinando como Christina Lauren, Christina Hobbs e Lauren Billings (The House) abordam religião, identidade e sexualidade, entrelaçando perfeitamente as aulas de escrita de Tanner, sua paixão por Sebastian e os problemas surgidos quando os sentimentos de Sebastian entram em conflito com o que a igreja espera dele.

O poeta Vinicius de Moraes cantava "que é melhor se sofrer junto, que viver feliz sozinho”. Será? O historiador Leandro Karnal, um dos intelectuais brasileiros que, através de seus livros, palestras e vídeos, nos ajuda a pensar o mundo contemporâneo, discute uma questão presente na vida de todos: a solidão. A partir de referências de filósofos e da própria Bíblia, de fatos históricos e de romances, ele faz uma reflexão sobre a natureza de viver só - por pouco ou muito tempo, estando ou não acompanhado. Apresenta como a solidão é encarada no cinema, na literatura, na música, nas artes. Mostra que ela pode ser iluminadora e como Deus se revela aos solitários. O mesmo Deus que, segundo Gêneses, teria dito: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e corresponda.” E expõe como se desenvolveu a tradição judaico-cristã da solidão. Em O dilema do porco-espinho, Karnal viaja pela modernidade líquida e analisa a solidão no mundo virtual e o isolamento. Discute dos amigos imaginários criados pelas crianças aos pensamentos de alguns filósofos, como Aristóteles, que dizia que a solidão criava deuses e bestas. Como a solidão é um tema que sempre o acompanhou e, segundo revela o próprio Karnal, tem crescido na maturidade, o autor escreve este livro como um ensaio pessoal. Ao dividir suas meditações, o autor convida o leitor, durante o ato da leitura, a deixar a solidão de lado e compartilhar seus pensamentos também.


Esses são os livros selecionados.
Você já leu algum? Comenta aí! 











You May Also Like

50 comentários. Clique aqui para comentar também!

  1. Também preciso fazer uma listinha de livros pra ler esse ano! Pra ver se leio mesmo... ano passado foi um fracasso. Não conheço nenhum da sua listinha, acho que não são bem o meu tipo... haha

    Beijinhos
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz mesmo! Ano passado eu fui um grande fracasso, me perdi completamente e só li coisas da faculdade, fiquei muito triste mas foi falta de organização :(

      Excluir
  2. Nunca li nenhum deles, mas parecem-me todos excelentes escolhas! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  3. Eu criei uma lista de 12 livros que quero ler em 2020 também, todos sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, hábitos... Os outros tipos eu consigo ler sem precisar criar lista! O livro que já estou lendo se chama "mini hábitos", é muito bom, realmente te leva à fazer coisas.
    Beijos e Feliz 2020!!

    Ellyn Brito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que incrível! Adoraria dar uma olhada mas o link não está transferindo para o seu blog! :( parece ser muito interessante!

      Excluir
  4. Olá!!
    Amei as escolhas dos livros para você ler esse ano, já tem um tempo que quero ler: Roube como um artista. Espero ler e ganhar de presente esse livro.
    beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Fiquei curiosa com "estamos bem" e "a vida é boa se você não fraquejar" parecem bem legais!

    ___________

    - Conhece meu cantinho? Te encontro lá, hein?

    Blog Meu Baú de Estrelas
    Meu Canal no Youtube
    Instagram
    Twitter
    Blog Bilhetes de Busan

    ResponderExcluir
  6. Oii!
    Não li nenhum dos livros da sua listinha mas também quero ler algo de Dostoiévski esse ano, uma obra chamada de 'Crime e Castigo'. Também fiz uma listinha de metas de leitura para 2020. Espero que a gente consiga cumprí-la rs

    Abraço,
    Larissa | Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmm! As obras deles são muito delicadas, estou ansiosa por essa leitura. Não sabia desse título dele, vou procurar a sinopse haha

      Excluir
  7. Eu gostaria de ler mais livros legais esse ano, mas sei não haha...
    Menina esse "Roube como um artista" é incríveeeeel, eu li esses dias tudo de uma vez, é muito bom e inspirador, principalmente pra quem gosta e faz algo voltado as artes, leia ♥
    Quando for lendo os livros vai contando pra gente :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérioo? Eu só vejo comentários positivos sobre esse livro!!

      Excluir
  8. Já li Minha Versão de Você e amei! E depois do filme, quero muito ler A Vida Invisível de Eurídice Gusmão.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu to muito ansiosa por essa leitura!! Simm o livro deve ser ótimo né

      Excluir
  9. Com certeza O Dilema do Porco Espinho já está na minha lista de livros para esse ano, as discussões que Leandro Karnal traz são extremamente relevantes em nosso atual contexto. São livros muito interessantes para esse ano, boa leitura! Beijos.

    https://escrevendoerabiscando.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHHH obrigada, eu estou muito ansiosa por todas as leituras e as reflexões que Leandro Karnal traz no livro me interessam bastante!!

      Excluir
  10. Parecem ser bem interessantes, vou ficar aguardando as resenhas por aqui.
    Beijos!
    Vem ver post novo

    ResponderExcluir
  11. Hello :)

    Não conhecia nenhum dos livros que falaste e já guardei aqui 2 para comprar. Mas ando interessada em livros sobre Auschwitz.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  12. É sempre bom fazer esse tipo de lista para não perder o foco no decorrer do ano né...
    Gostei da sinopse do livro de Martha Batalha, fiquei interessada em lê-lo, assim como A Vida é Boa, Se Você Não Fraquejar.
    Que tenhamos boas leituras em 2020!
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso! As listas nos direcionam e sempre ajudam a gente a manter o foco
      São títulos super interessantes, né!
      Simmm <3

      Excluir
  13. Olá, tudo bem?
    Que listinha maravilhosa, espero que consiga ler todos esses livros ao longo do ano, esperarei pelas resenhas deles. Da sua lista, o único que conheço é Estamos bem e só ouço coisas boas a respeito.
    Não fiz uma listinha esse ano, sempre acabo meio perdida rs.
    Beijos,
    https://blog-apaixonadaporpalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero conseguir mostrar muitas resenhas legais esse ano! Estou ansiosa para as leituras :)

      Excluir
  14. Não li nenhum desses, mas adorei sua listinha. Eu pretendo ler o Roube como um artista e O Mito da Beleza, que estão na minha listinha de leituras.

    https://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha! Comenta comigo se você conseguir ler esses :)

      Excluir
  15. Oie, tudo bem?
    Achei a sua lista muito bacana e bem diversa.
    Li um capítulo de O Mito da Beleza pro meu TCC e estou louca pra ler o livro completo. Tenho certeza que é incrível e esclarecedor.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah eu realmente estou tentando ler outros temas e trazer novos questinamentos e assuntos diversos para as minhas leituras!
      AHH eu recebi a indicação desse livro vendo o instagram da Ellora (youtuber) me interessei bastante!

      Excluir
  16. também coloquei em minhas metas desse ano voltar a ler com assiduidade, minha meta são 12, e com certeza O Dilema do Porco Espinho e A Vida Invisível de Eurídice Gusmão estão na minha lista pra ler esse ano!

    beijo
    Aminadefe

    ResponderExcluir
  17. Mas que boas leituras esse ano!!
    Comecei a seguir você #127, quer me seguir de volta?
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
  18. Amei a lista de leitura. Ainda não li nenhum dessas e tenho o "estamos bem" no Kindle pra ler.
    Aguardando as resenhas
    Beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá, Bruna.
    Não conheço nenhum dos que você selecionou para ler. Por isso traga sim a resenha deles quando ler para eu conhecer hehe. Espero que consiga ler todos e mais.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  20. Que indicações fantásticas! Gostei muito

    Beijos e aguardo sua visita!
    >>> https://blogjulianarabelo.blog/

    ResponderExcluir
  21. Olá...
    Amei os 13 livros que você escolheu pra meta 2020 e fiquei surpresa, pois, vários deles estão na minha lista de desejados, logo, vou aguardar suas resenhas <3
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo, Diane!! Espero gostar dos livros e comentar o quanto antes sobre eles :)

      Excluir
  22. Uau, eu amei os treze livros que você selecionou, ainda não os conhecia. Esperando ansiosa pelas suas resenhas!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, espero que também goste das resenhas!

      Excluir
  23. Ótimas escolhas para o ano. Já ouvi comentários muito positivos de roube como um artista.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  24. Não conhecia nenhum deles...

    cobaiaamiga.com

    ResponderExcluir

- Caso você tenha um blog deixe o link dele no comentário para que eu possa fazer uma visita! :)
-Bem Vindo(a) e volte sempre!